As necessidades das empresas sem risco com o eSocial

As informações que os empregadores devem informar no eSocial incluem: imposto de renda retido, contribuições para o FGTS, seguro desemprego, pensão familiar, doença, licença temporária, férias entre outros, saiba mais.

Compartilhe

Empresas sem risco e eSocial, como funciona? Bom, o sistema eSocial basicamente surgiu para unificar e simplificar as obrigações de relatórios relacionados ao trabalho para empregadores de todo o país.

Todas as empresas brasileiras são de certa forma obrigadas a enviar informações trabalhistas, fiscais, previdenciárias e de folha de pagamento dos funcionários ao governo brasileiro por meio da plataforma eSocial.

As informações que os empregadores devem informar no eSocial incluem: imposto de renda retido, contribuições para o FGTS, seguro desemprego, pensão familiar, doença, licença temporária, férias entre outros.

Entretanto, as exigências variam conforme o grau de risco que a empresa é classificada. Uma empresa sem risco, por exemplo, é aquela que não oferece riscos laborais ao funcionário, enquanto uma empresa de alto risco é aquela que lida com agentes nocivos de alta periculosidade para seus trabalhadores.

Pensando nisso, vamos entender no decorrer deste artigo um pouco mais sobre o eSocial, quais são as classificações das empresas em grau de risco, como funciona e quais os benefícios e necessidades para empresas sem risco com o eSocial.

O que é o eSocial?

Antes de darmos prosseguimento, é importante que você entenda de fato o que é o eSocial. O eSocial é um sistema de contabilidade digital implementado pela primeira vez no Brasil em meados de 2018 como forma de unificar e simplificar as obrigações de relatórios trabalhistas.

Neste contexto, o sistema foi gerado como uma opção de aumentar a capacidade do governo no cumprimento das leis trabalhistas, reduzindo fraudes, promovendo maior transparência administrativa e facilitando o processo de denúncia tanto para os empregadores quanto para a autoridade fiscal.

Além disso, o sistema eSocial substitui o processo de declaração anterior do Brasil, que exigia que os empregadores se reportassem separadamente ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), à Receita Federal do Brasil e ao Ministério do Trabalho e Emprego.

Toda empresa de qualquer que seja a sua classificação em grau de risco deve estar em dia com o sistema do eSocial. As obrigações e exigências, portanto, variam de acordo com o grau de risco da empresa.

Classificação das empresas em grau de risco

Existem quatro classificações de risco para as empresas e isso influencia totalmente na atividade, necessidade e análise do eSocial.

O nível de risco decorrente da atividade de trabalho deve determinar o quão sofisticada a avaliação de risco precisa ser.

Dessa forma, um risco é a chance ou probabilidade de uma pessoa ser prejudicada ou sofrer um efeito adverso à saúde se exposta a um perigo. Também pode se aplicar a situações de perda de bens, equipamentos ou efeitos nocivos ao meio ambiente.

Isso é importante porque as empresas possuem obrigações ou prazos diferentes quanto ao eSocial dependendo do risco que oferece aos profissionais. Uma maneira comum de classificá-los é por categoria, exemplo:

  • Biológicos: bactérias, vírus, insetos, plantas etc.
  • Químico: depende das propriedades físicas, químicas e tóxicas do produto químico, mas é comumente utilizado em fábricas e indústrias.
  • Ergonômico: movimentos repetitivos, configuração inadequada da estação de trabalho etc.
  • Físico: radiação, campos magnéticos, extremos de pressão (alta pressão ou vácuo), ruído etc.

O grau de risco pode variar entre 1 e 4, do menor risco ao maior. Ou seja, empresas sem risco/baixo risco, empresas baixo/médio risco, médio e alto respectivamente.

Empresas sem risco (ou com risco baixo) precisam ter o eSocial?

No ano de 2021, as empresas denominadas em classificação sem risco deveriam possuir uma declaração ou até um certificado digital emitido por um profissional de Saúde e Segurança no Trabalho regularmente habilitado sobre a inexistência dos riscos citados acima (químicos, físicos e biológicos).

Embora uma empresa seja considerada sem risco, isso não altera as responsabilidades que essa empresa possui com o eSocial. Basicamente, as empresas de pequeno porte ou microempresas que não oferecem risco aos trabalhadores também precisam ter uma série de responsabilidades no eSocial, como a elaboração do ASO, condições do trabalho, CAT (Comunicação de Acidente do Trabalho), entre outras.

No entanto, vale destacar que por não possuírem impactos negativos relacionados ao perigo no trabalho e não oferecer riscos aos colaboradores, tais empresas ficam dispensadas de elaborar os PCMSO e PPRA ou PGR (Plano de Gerenciamento de Riscos).

Como funciona o eSocial?

A plataforma eSocial envolve os seguintes recursos, requisitos e obrigações principais que abrangem a todas as empresas sejam elas classificadas como de alto ou sem/baixo risco, tais como:

Cadastro

Os empregadores devem concluir o processo de registro do eSocial para todos os novos funcionários pelo menos um dia útil antes do início do vínculo empregatício. O processo abrange o envio das informações de identificação e documentos de pré-contratação, tais como exames médicos.

Da mesma forma, quando um funcionário é demitido ou deixa o emprego, essa mudança deve ser registrada no eSocial em até 10 dias após a data da saída. Assim, os empregadores que não cumprirem os prazos de submissão do eSocial podem estar sujeitos a multa.

Penalidades

Além do registro tardio do eSocial, os empregadores também podem ser multados por outras formas de descumprimento dos requisitos do eSocial, incluindo discrepâncias, imprecisões ou omissões nas informações enviadas à plataforma.

Responsabilidades do eSocial para empresas sem risco

Como vimos, toda empresa possui obrigações relacionadas à segurança do trabalho. Não apenas por conta das legislações trabalhistas que são bastante rigorosas e requisitam diversas questões para entender e tratar as situações no trabalho, mas também por oferecer um ambiente seguro para o profissional.

Concluindo, as empresas que não oferecem riscos aos trabalhadores também possuem necessidades com o eSocial, sendo importante cumprir os prazos de adequação e envio de informações e dados, além dos requisitos citados anteriormente, como ASO, CAT e condições do trabalho.

Para simplificar todo o processo e evitar multas e penalidades, atualmente existem diversas empresas que prestam consultoria em diversos ramos, desde na parte de Saúde e Segurança do Trabalho, até em questões mais burocráticas como a atualização do eSocial, emissão de documentos como ASO e assim por diante.

Considerando tais pontos, é importante destacarmos que a segurança é essencial para o cuidado com o profissional e companhia em si.

Medicina
Ocupacional

Temos uma equipe de consultores e assessores, trabalhamos na elaboração, implantação e o acompanhamento, visando a redução de acidentes e o controle da exposição de riscos.

Treinamentos
Empresariais

Realizamos diversos tipos de treinamentos nas mais variadas especialidades com acompanhamento técnico e direto podendo ser aplicado dentro ou fora de nossas unidades

+ 0
Anos de Mercado
+ 0
Empresas Atendidas
+ 0
Postos de Atendimento

Precisa da nossa ajuda?
Entre em contato com nossa equipe comercial

Deixe nosso time de especialistas te mostrar nossas soluções inovadoras para sua empresa.

Como prefere entrar em contato?